domingo, 10 de agosto de 2008

MUNDO FAKE

Perfis falsos, também conhecidos como “fakes”, existem desde o início do Orkut. Os fakes surgiram da vontade de alguns poucos usuários de ser outra pessoa, encarar um personagem ou simplesmente passar despercebido. Mas quando o site lançou a ferramenta de identificação dos visitantes das páginas pessoais, muitos usuários se apressaram em criar contas falsas para continuar xeretando sem serem reconhecidos – tornando a brincadeira extremamente popular.Assim nasceu o “mundo fake” no site de relacionamento, que tem ganhado cada vez mais adeptos. Hoje eles são tantos e tão variados que podem até ser divididos em categorias.Os mais numerososOs fakes de celebridades estão entre os mais populares, como o Vitor Fasano do Twitter, que tem 1929 seguidores. Menos visitados, porém não menos famosos, são as dezenas de fakes do Orkut criados em nome de Brad Pitt, Sílvio Santos, Gisele Bündchen, Carla Perez e Clodovil Hernandes, entre outros. Na brincadeira, até o presidente Lula foi contemplado com um perfil falso.CriativosAlguns usuários são mais originais e criam seus próprios personagens. Felipe, por exemplo, criou em 2005 o fake “Jorginho”, um famoso anônimo que tem como marca registrada escrever errado e falar besteiras de todo tipo. “Jorginho” pode ser considerado um fake de personalidade, pois apesar de seus erros de português “até aprendeu algumas regras gramaticais com o passar do tempo”, conta Felipe.O jeito de escrever de Jorginho fez tanto sucesso que muitas pessoas o adicionaram no Orkut (inclusive outros fakes). E além da popularidade, “Jorginho” trouxe novos amigos a Felipe, que diz já ter conhecido pessoalmente mais de 20 donos de perfis por meio do fake.Já o barman David, de 25 anos, que diz ter criado mais de 100 perfis falsos, afirma gostar de batizar os fakes com nomes inusitados, como “Misto Eleazar” e “Golias Miranda”. “Gosto de pesquisar para escolher os nomes. Busco personagens típicos de novelas da Janete Clair”, explica. Hoje David diz ter deixado a brincadeira de lado. “Dava muito trabalho. Nem sei como eu arranjava tempo, porque além de criar a personalidade de todos os perfis, eu monitorava constantemente a ‘amizade’ entre eles”. E de toda essa experiência, David tirou vivências bem reais: além de muitos amigos, foi por meio de um de seus fakes que David conheceu sua namorada, há dois anos.
Postar um comentário