terça-feira, 27 de janeiro de 2009

É PRECISO BUSCAR A SENSIBILIDADE.


Num mundo de extremo consumismo , individualismo, rapidez, as pessoas pouco a pouco vão se endurecendo, se tornando insensíveis diante dos desafios da vida moderna. É como se diz por aí " è matar ou morrer"

Estamos cansados de ouvir isso, mas é preciso sempre repetir: A sociedade organizada nos moldes atuais busca somente fazer com que as pessoas consumam , tenham prazeres efêmeros e curtos, busquem objetivos pequenos, apenas sobrevivam. Querem um ser humano destítuido de suas potencialidades, querem apenas um ser humano que possam moldar através de suas necessidades e desejos. Cultura, auto-conhecimento profundo, conscientização, não trazem lucro, portanto são banalizados.



Temos que valorizar mais a arte, as letras, a busca pelo conhecer-se de forma mais profunda, os mitos, o refinamento do espírito através de uma sensibilidade mais acurada. Precisamos dar um basta nesse mundo embrutecido e através de um despertar individual, multiplicarmos nossas forças.

Cristo deparou-se certa vez com uma situação de urgência ( entre tantas que vivenciou). O mar, enraivecido, a chuva violenta e o vento impetuoso, ameaçavam-lhe tirar a vida e de seus amigos.

Sendo o mestre de todos, o Senhor dos ventos e mares e chuvas poderia de forma autorítária fazer imediatamente tudo cessar. Poderia questionar até mesmo com que direito as forças da natureza impediam seu descanso.

Mas, numa suave intervenção, deu a ordem para que tudo se aquietasse. De forma amena, suave, mas firme, ele demonstrou a todos nós que não importa quanto poder temos em nossas mãos, ou apesar de uma situação parecer extremamente violenta contra você é possivel ter sensibilidade, suavidade, sem ser fraco, mas firme, ousado e com essa atitude transformar a situação tempestuosa numa tranquila brisa ao entardecer.
Postar um comentário