quinta-feira, 25 de agosto de 2011

OUTROS CAMINHOS EM EDUCAÇÃO.


Há muitas teorias em educação. Tendências que nos tentam dar um caminho, a melhor maneira de educar as pessoas, para torná-las capazes de terem sucesso em suas vidas.
A revista Época há alguns dias atrás, publicou uma reportagem que achei muito interessante. A começar do título " O ponto fraco da escola forte" Em linhas gerais, a reportagem nos mostra que há uma tendência em se valorizar a escola disciplinadora, aquela escola que exige muito conteúdo, que enche nossos filhos de trabalhos e obrigações, e que em muitos casos ( e são muitos) consegue colocar nossas crianças nas melhores faculdades do País.
Mas há controvérsias. E muitas.Qual o preço de tanta cobrança, de tanta pressão? Vale a pena pagar o preço? Isso só nossos jovens podem dizer. Acredito que eles também tem o direito de escolher seus caminhos e a forma como querem estudar. Há muitos casos de alunos que entraram em depressão ou que desenvolveram algum tipo de fobia.
Alternativas.

"Essas alternativas também podem ser um caminho para o sucesso na vida real. Os americanos Larry Page e Sergei Brin, fundadores do Google, estudaram em escola montessoriana. Eles afirmam que a escola é um dos principais fatores de seu êxito empreendedor. Lá, segundo eles, aprenderam a trabalhar sozinhos, com ideias próprias. Dizem que a educação montessoriana lhes deu liberdade para perseguir seus sonhos e paixões. Outros inovadores da era digital, comoJeff Bezos, fundador da loja virtual Amazon, e Jimmy Wales, criador da Wikipédia, também vieram de escolas montessorianas. "

Individualidade, atividade e liberdade do aluno são as bases da teoria montessoriana , com ênfase para o conceito de indivíduo como, simultaneamente, sujeito e objeto do ensino. Montessori defendia uma concepção de educação que se estende além dos limites do acúmulo de informações. O objetivo da escola é a formação integral do jovem, uma “educação para a vida”. A filosofia e os métodos elaborados pela médica italiana procuram desenvolver o potencial criativo desde a primeira infância, associando-o à vontade de aprender – conceito que ela considerava inerente a todos os seres humanos.

O método Montessori é fundamentalmente biológico. Sua prática se inspira na natureza e seus fundamentos teóricos são um corpo de informações científicas sobre o desenvolvimento infantil. Segundo seus seguidores, a evolução mental da criança acompanha o crescimento biológico e pode ser identificada em fases definidas, cada uma mais adequada a determinados tipos de conteúdo e aprendizado.

Maria Montessori acreditava que nem a educação nem a vida deveriam se limitar às conquistas materiais. Os objetivos individuais mais importantes seriam: encontrar um lugar no mundo, desenvolver um trabalho gratificante e nutrir paz e densidade interiores para ter capacidade de amar. A educadora acreditava que esses seriam os fundamentos de quaisquer comunidades pacíficas, constituídas de indivíduos independentes e responsáveis. A meta coletiva é vista até hoje por seus adeptos como a finalidade maior da educação montessoriana.

Fica então o recado. Há alternativas para quem quer algo mais que simplesmente conhecimento!!!

Postar um comentário