sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

POSSIBILIDADES!!!







Quando nos deparamos com um problema , geralmente nos inquietamos, perdemos nosso equílibrio interno, e assim procuramos resolvê-los. E geralmente usamos nossos padrões de pensamento, nossas estratégias aprendidas durante os anos que vivemos, ou guiados pelos conselhos de psicólogos, pastores, pessoas mais experientes acreditamos solucionar a crise.Tudo isso é válido e importante.

Mas normalmente nossos padrões de pensamento são viciados, nossas estratégias ultrapassadas, os conselhos são simplistas baseados as vezes em experiências próprias ou até mesmo do "ouvi dizer que assim funciona" de outras pessoas.

Mas as situações conflituosas da atualidade são muito mais complexas do que a alguns anos atrás e exigem uma visão global de vários fatores que criam o problema. Não adianta simplesmente tentar resolver um conflito usando apenas uma ou duas estratégias. Hoje em dia é preciso recorrer a uma multiplicidade de conhecimentos para poder ter um caminho, um plano para superar a dificuldade.

E isso envolve processos e não simplesmente resultados.

Infelizmente nossa sociedade continua usando velhas fórmulas para resolver aquilo com o que não consegue conviver.

Nas escolas, amontoam-se pessoas dentro de um cúbiculo e acreditam que criando teorias e teorias e fazendo os professores as aplicarem tudo vai se resolver. O mapa não é o território.

No dia a dia das grandes cidades se usa a violência do aparato policial para coibir crimes .

E tudo continua num crescente processo de desestruturação. E as pessoas que comandam esse sistema mundial, financeiro cultural, sabem como melhorar a situação: Investir no crescimento do ser humano , suas virtudes, seu autoconhecimento, sua espiritualidade. Mas resistem e não querem um ser humano melhor. Querem um "animal" que consuma, que trabalhe e que obedeça.

É só quando essas pessoas mudarem sua percepção do modelo de ser humano e de sociedade , conseguiremos solucionar a grande maioria de nossos conflitos
Postar um comentário