quarta-feira, 21 de novembro de 2012

O VELHO E O MAR!!!







Estamos vivos mais um dia. Mas não basta estar vivo é preciso viver. Alguns estão iniciando nessa caminhada , são ainda crianças ,jovens, com força total para enfrentar e vencer desafios.
Outros já caminham para uma idade mais avançada, onde os desafios e percalços talvez sejam parecidos , mas as forças não.
Envelhecer é sentir as energias da juventude se dissiparem por entre nossos dedos. Não conseguimos ter a mesma capacidade física, e as vezes nosso psicológico parece mais lento.
O velho já não pescava nada a três meses. As pessoas já estavam duvidando de sua capacidade, cobravam resultados . O mundo, a sociedade cobra de todos , sem distinção.
Somente o menino acreditava no velho. Um menino que talvez nesse livro de Hemingway , simbolizasse a criança interior daquele senhor, incansável, a força motriz de uma personalidade abatida.
Mas havia ainda um desafio. Ele precisava provar para si mesmo que ainda era capaz, que podia fazer o mesmo que outras pessoas. O grande mar. Era preciso penetrá-lo, enfrentar seus mistérios na busca do grande peixe.
E la se vai o velho, cheio de esperanças, sozinho, mas com a certeza no coração de que iria conseguir.
No meio do oceano, absorto, tendo como companheiro o vento, a lua e as estrelas, o ancião começa a pensar, a refletir, na vida, nas pessoas, no porque está ali naquele momento.
Reconhece-se um com a Natureza, sente que o peixe que tanto quer fisgar, é seu amigo, seu irmão, sente dó em ter que matar aquele ser vivo. De repente um puxão na vara. Seu peixe, um imenso marlim estava fisgado. Era preciso dar cabo da empreitada. Sim, porque a sociedade impõem a todos nós, não apenas que vençamos, mas antes também destruamos nossos inimigos. Mesmo que na verdade eles não sejam nossos inimigos. A luta pela sobrevivência nos deixa muitas vezes cegos para as verdades da vida.
Depois de dias de incansável luta, finalmente o peixe se entrega. E aquele velho, feliz com sua presa, começa sua viagem de volta para a vila dos pescadores.
Mas a batalha ainda não terminara. Agora ele teria que enfrentar os tubarões que queriam para si aquele peixe que o velho com tanto suor conquistara.
E assim,. Na luta entre um homem velho contra inúmeros tubarões, o pobre ancião, consegue ainda trazer a carcaça do peixe para a praia.
Na vida também existem os tubarões da inveja. Pessoas que não querem o mesmo que nós. Elas olham para o que já temos e querem para si.
O mais importante nessa estória é a esperança. Acreditar sempre, não importam os obstáculos a frente.
Talvez você já não seja uma pessoa jovem, cheia de vitalidade. Mas como pessoa madura possui uma força diferente,: a confiança da sabedoria, da perseverança. Acredite. Há ainda um peixe muito grande a ser pescado, há um mar imenso a ser desvelado. Você vai conseguir!!!  

Postar um comentário