sábado, 2 de março de 2013

NOS LÁBIOS MEL, MAS NO PALADAR AMARGO COMO FEL!!!



A Bíblia é um livro milenar. Enganam-se muitas pessoas que pelo fato de não acreditarem em suas premissas teológicas, imaginem que não sirva para nada.
Mesmo que teologicamente alguém possa discordar totalmente de seus escritos, no entanto ela é bem mais do que isso.
Em suas páginas há diversos gêneros literários: contos, mitos, estórias, poesia, informação, crônicas, metáforas... Assim, a Bíblia é um livro que vai além de Deus!!!
Em Provérbios por exemplo há inúmeros aforismos interessantíssimos provenientes certamente da vivência de muitas pessoas e que podem nos servir de caminho para alguma decisão, de abertura de pensamento, de ampliação de horizontes.
Mas não estou aqui fazer apologia do texto sagrado. Há outros que fazem isso muito melhor do que eu.
Quero me servir de um escrito bíblico, que se encontra no livro de Provérbios capítulo 5 que fala de pessoas que tem os lábios doce!
Há muitos deles no mundo. Neste provérbio específico  falava-se  das mulheres imorais, mas podemos ampliar o contexto, ilustrando que há muitas pessoas que tem os lábios doce como o mel.
E como o mel é bom. Quem não gosta de sentir o sabor, a textura a suavidade do néctar das abelhas?
Sansão, herói bíblico foi um deles. Quando em sua caminhada viu um favo de mel, não teve dúvidas. Tomou para si e o experimentou. E mais: levou-o para seus pais. O detalhe , que não percebeu, me parece, foi o fato de que esse mel estava dentro de um leão morto, um cadáver. E o profeta, como separado, jamais poderia ter tocado em coisas imundas.
Mas a sedução envolve e cega.
O psicólogo William James, dizia que um dos princípios fundamentais da personalidade humana é ser apreciado. Mesmo que muitas vezes aquele elogio não condiz com o nosso momento , não importa. Alguém olhou para mim, alguém me percebeu, eu sou apreciado.
Isso abre muitas brechas dentro de nós. Brechas que servem para que pessoas não tão bem intencionadas insiram idéias, sentimentos e emoções que não são os nossos. E muitas vezes nos levem a atitudes e comportamentos que racionalmente jamais tomaríamos.
Precisamos nos conhecer mais, observar como reagimos as críticas e a elogios. 
Muitas vezes encontramos neste mundo pessoas com lábios de mel, que destilam maravilhosas palavras a nosso respeito, mas com inteñções nem um pouco nobres. Podem ter sabor de mel, mas quando ingeridas se transformam em fel.
Quantas mulheres já perderam seus maridos, sua família, uma vida equilibrada, por darem ouvido a doces palavras....
Quantos homens já foram seduzidos por palavras doces de mulheres , mas no final sentiram o amargo sabor da desilusão.....
Não nos enganemos, saibamos compreender nosso real valor, nossas qualidades e defeitos.
Que não sejam doces palavras que só servem para "inflar" o nosso ego que induzam nosso comnportamento.
Sejamos simplíces como as pombas , mas prudentes como as serpentes!!!
Postar um comentário