sábado, 27 de setembro de 2008

BELEZA AMERICANA


De fato, esse foi um dos filmes mais inquietantes que já assisti. Sim, mexe com a gente, porque revela facetas que insistimos em esconder "debaixo" do tapete. Há uma beleza aparente, a vida dos Lester parece só ser harmonia. Ele ,bem empregado num escritório, ela uma corretora de imóveis , sua filha , sempre obediente. Mas por detrás de todo esse equílibrio, de toda essa aparente beleza , a todo um mundo de conflitos e frustrações. Todos de fato ,fazem o possível para mostrar e acreditar que o que vivem é o sinônimo de felicidade , que a harmonia e a tranquilidade são constantes em suas vidas. Mas pouco a pouco vai se descortinando uma outra realidade, algo que está escondido. Lester de fato é um empregado frustrado, que não gosta do que faz, não se acerta com a esposa e filha e que só consegue satisfação se masturbando, o que também acaba se tornando monótono por ser algo sempre repetitivo e solitário. Sua mulher, também se mostra uma derrotada, alguém que não consegue vender uma casa num dia. E pouco a pouco a frágil aparência se esvai revelando um mundo desfigurado, mas verdadeiro. E a continuidade das situações dos diversos personagens nos revela, que o sistema em que vivemos, esse mundo dominado pelo capital, rotula os indíviduos pelo que ganham e o que conquistam materialmente, e que apesar da rebeldia de alguns personagens , todos querem fazer parte do melhor desse sistema. E concluir, que quem pensa diferente e quer assim viver, acaba sendo "deletado".
Postar um comentário