sexta-feira, 23 de abril de 2010

A ALICE DE TIM BURTON


Um dos filmes mais esperados do ano, "Alice no País das Maravilhas" estreia nesta sexta-feira (23) com 400 cópias no país. O longa é mais uma parceria entre o ator Johnny Depp, que interpreta um melancólico chapeleiro maluco, e o diretor Tim Burton, que nos apresenta o seu olhar "dark" sobre o clássico de Lewis Carroll --o filme não é recomendado para menores de 10 anos.
Para contar a história de uma Alice adulta (Mia Wasikowska), a Disney desembolsou US$ 200 milhões e apostou pesado nos efeitos 3D --126 salas de cinema brasileiras exibem o longa neste formato. O resultado é uma direção de arte magnífica, que nos transporta para um mundo fantástico, onde a jovem, aqui com 19 anos, vai se aventurar no Mundo Subterrâneo, local visitado pela garota na infância, para onde ela volta em busca de uma identidade.
Na trama, Alice vai atrás de um coelho para fugir de um casamento arranjado e cai num poço sem fundo, o que representa uma espécie de fuga da vida adulta. A personagem, sob o olhar de Burton, é uma sonhadora que não consegue se adequar aos costumes da Inglaterra vitoriana e ganha contornos feministas.
Mas quem rouba a cena é a malvada e atrapalhada Rainha Vermelha, interpretada por Helena Bonham Carter, mulher de Burton. Ela domina o Mundo Subterrâneo na base do grito ("Cortem-lhe as cabeças!") e é, de longe, um dos personagens mais interessantes, deixando para trás o Gato Risonho, a Lagarta e até mesmo o Chapeleiro Maluco

Fonte - Folha
Postar um comentário