domingo, 31 de julho de 2011

REINVENTAR A EDUCAÇÃO



Reconstruir a educação mudando as técnicas de ensinar e contando com o apoio de pais brilhantes e professores fascinantes, esta é uma das vertentes preconizadas por Augusto Cury em "Pais Brilhantes, Professores Fascinantes. "É uma mudança na educação que está falida no mundo todo", afirma o autor. Para este, a educação deve ser reinventada, reconstruída e não consertada.

Durante vários períodos tivemos grandes teorias: Freud, Piaget e outros, mas estas, nos dias actuais, não funcionam mais, pelo facto de termos mexido na caixa preta do funcionamento da mente com as crianças e adolescentes do mundo”, enfatiza.

O livro continua causando uma verdadeira revolução na educação. Hoje é um dos mais vendidos, o best-seller dos últimos anos. Segundo o autor, os pais que estão colocando em prática o ensinamento estão felizes por ajudar os seus filhos.

Em relação às escolas, o autor diz que é onde está ocorrendo a maior mudança. “ Nos últimos dez anos, os alunos estão valorizando seus mestres, estes estão se tornando mestres da vida e não apenas transmissores de conhecimento objectivo”.

Síndrome do Pensamento Acelerado

Cury aponta o excesso de estímulo da TV, de conhecimento como a nova mudança nos paradigmas educacionais. “O estímulo dobra a cada cinco anos o que acontecia a cada 200 anos” diz. Além disso, a paranóia do consumo e da estética estimulou os fenómenos. “São eles que lêem a memória e constroem cadeias de pensamentos, produzindo uma nova síndrome chamada Síndrome do Pensamento Acelerado (SPA)”, afirma Cury complementando que, no mundo, todos cometem um crime contra a mente das crianças, dos adolescentes.

O SPA é caracterizado por baixa concentração, dificuldade em lidar com estímulos da rotina diária, irritabilidade, esquecimento, ansiedade intensa”. No livro, o autor grita a dezenas de países, onde a obra está sendo publicada, que a sociedade moderna comete um grave crime contra a juventude mundial. “Temos que reiventar a educação”, afirma.

Mudanças educacionais

Para Cury, a forma como acontece a educação escolar é equivocada. “Na vida toda, a educação escolar gera servos e não pensadores, por isso, preconizamos que as crianças sentem em círculos ou duplo-círculos, que haja música ambiente em sala de aula, preferencialmente música clássica, para que a emoção cruze com a informação lógica do professor e seja registrada de maneira privilegiada”, informa.

Alternativas

Segundo o psicoterapeuta a disposição de fileiras nas salas de aula limitam o aluno. Sentar em círculo ou duplo círculo e música ambiente, para Cury, somente estas duas técnicas já reduzem em 40% a 50% o stress dos professores e alunos. “Melhora a concentração dos estudantes, o rendimento intelectual e possibilita a vivência do que Platão já preconizava há dois mil anos- o deleite do prazer de aprender”, explica. Além disso, ele enfatiza que os professores não espalhem conhecimentos enlatados. “Que eles não dêem conhecimento pronto como um MacDonald que produz um sanduíche pronto. Conhecimento pronto marca a capacidade criativa, destrói a ousadia, a aventura do conhecimento”.

Professores

Aos professores ele recomenda o desenvolvimento da dúvida. “No momento que expõem o conhecimento questionando, é necessário ensinar debatendo as idéias, perguntando, assim gerarão pensadores e não repetidores de informação”. Outro ponto é que o professor cruze sua história com a dos alunos, de vez em quando, uma vez por semana, durante alguns minutos. Que ele possa falar sobre um período da sua vida, das suas tristezas, angústias, sonhos, aventuras, golpes de audácia. “Enfim, o professor fascinante é aquele que não ensina apenas matéria, mas que ensina a vida e fale de si mesmo”, comenta Cury.

Pais

Aos pais, segundo ele, cabe a participação. “Os pais devem deixar de ser manuais de regras e de críticas”, enfatiza. “Pais brilhantes são também aqueles que cruzam suas histórias, que têm coragem de perguntar a seus filhos quais os seus dias mais tristes, quais foram as suas frustrações mais importantes”, alerta. Os pais devem questionar os seus erros aos filhos, e perguntar a eles o que pode ser feito para melhorar a relação em família, de forma a torná-la mais feliz. “A relação entre pais e filhos está péssima, um caos”, avalia Cury.

Segundo o autor, os pais cultos - que tem uma ou duas faculdades -, às vezes mestrado ou doutorado, que têm sucesso financeiro, são grandes empresários que possuem alto status social estão gerando filhos doentes. “Isto porque não basta dar apenas o conhecimento lógico, uma boa escola, comprar brinquedos, excelentes roupas; os filhos precisam da história dos próprios pais, das lágrimas destes, do coração emocional, muito mais que do dinheiro deles”, informa. Para ele, no mundo todo assiste-se a um processo de solidão. “As pessoas moram na mesma casa, comem da mesma comida, respiram o mesmo ar, mas estão distantes uns dos outros”,

Fonte - Centro de Estudos Augusto Curydiz.
Postar um comentário