sábado, 2 de novembro de 2013

COMPETIR É ANDAR JUNTOS!!!




Observando crianças aprendemos muito sobre o ser humano. Elas, em suas brincadeiras estão sempre competindo uma com as  outras. O menino quer ser o mais forte, o mais rápido o mais bonito, muito mais esperto que seu colega. Meninas querem ser mais belas, mais assediadas, mais sexy, mais inteligentes que suas amigas . Esse comportamento , que se inicia em tenra idade, vai acompanhando a criança até sua adolescência e idade adulta. Aparentemente faz parte de uma natureza humana, muito embora há teóricos que acreditem que o que gera esses comportamentos seja a maneira como está organizada nossa sociedade, e que por natureza o ser humano é cooperativo.
Falar em competição, muitas vezes gera estresse porque o conceito está ligado a disputa, a agressividade, e muitas vezes a brigas e discussões. Isso é devido ao fato de que muitos não conhecem a etimologia da palavra e seja preciso ensinar a ideia de uma forma mais coerente e humana.
O origem da palavra competição é grega e significa " sair juntos" andar juntos". Surge  com as Olimpíadas, onde os atletas , em uma pista de cem metros " saiam", todos juntos em busca de seus objetivos,
Na verdade ,em uma competição, simbolicamente falando, não estamos disputando com o outro, mas estamos nos digladiando com nosso defeitos, com nossos limites, com nossa falta de preparo , com nossa ignorância. Não são os outros nossos adversários, não são eles que impedem nosso sucesso. É a nossa falta de estrutura, de conhecimento, de otimização de nossos recursos que nos leva ao fracasso.
Dentro desse ponto de vista a competição é algo muito positivo na sociedade. Ela impede a acomodação, a estagnação, o conformismo. 
Claro que devemos combater essa competição selvagem onde se" puxam" tapetes", onde se usam de estratagemas pouco éticos para alcançar o poder. Isso não é competição, mas falta de caráter!
Igualmente precisamos distinguir entre pessoas que tem condições de competir e outros que por deficiência, ou dificuldades diversas não tem condições de enfrentar em pé de igualdade os mesmos desafios.



Postar um comentário